sábado, 31 de dezembro de 2011

Um ano novinho pra recomeçar

Hoje é meu aniversário e eu odiava ter nascido nessa data  já que todos estão viajando, a escola está em férias e eu nunca tinha parabéns igual aos meus colegas. Mas hoje beirando a casa dos 30 descobri como sou feliz em nascer num dia tão especial.  31 de dezembro é um dos dias mais importantes do ano. É o dia em que refletimos sobre tudo o que fizemos nos últimos meses e deixamos pra trás as coisas ruins ou tristes. Aproveitamos a energia desse dia para mentalizar tudo o que queremos ser e ter de melhor no próximo ano por isso, quem nasce no Reveillon é um capricorniano de sorte!
Desejo a vocês que usem o Ano Novo como aquela folha em branco tão clichê mas tão útil. Vamos recomeçar a história das nossas vidas fazendo todo dia algo novo e surpreendente pra encher a folha branca de tantas coisas coloridas que não se possa nem notar qualquer espacinho vazio entre elas.
Feliz Ano Novo! Sorte, Saúde e Sucesso!

A Festa do Arthur

Era uma vez uma mãe que queria uma festa diferente: Eu! Era uma vez também 5 decoradoras que não queriam fazer o tema escolhido por mim. SORTE A MINHA! Assim pude conhecer através de uma amiga  a pessoa que leu meus pensamentos: a Raquel Machado. Junto com a Manuela Simão montaram a mesa mais linda que poderíamos ter nessa festa. Foi então que reunimos uma decoração linda, com lembrancinhas criativas, um cardápio de dar água na boca, o serviço impecável  do pessoal do Manjubinha, a alegria da Palhaça Chocolate e convidados que tornam qualquer encontro em uma super festa e pronto! Conseguimos a festa perfeita!












Coisas que aprendi com essa festa:
1- Festa em casa também pode ser ótima! Ainda mais quando se tem um bebê. O Arthur ficou mais à vontade e quando cansou foi direto pro berço dele.

2- Separar as lembrancinhas ou doces preferidos antes de começar a festa. Pra não correr o risco de ficar sem. Aconteceu comigo.

3- Isolar a festa do restante da casa é uma idéia de gênio! Fiz isso com uma divisória de Tecido Tensionado e foi ótimo dormir com o quarto arrumado e a parte íntima da casa toda limpinha. Um investimento que valeu super a pena!

4- Quem diz que festa de 1 ano não seve pro aniversariante se divertir, erra feio! Nunca vou esquecer a carinha do Arthur quando chegou em casa e encontrou tudo pronto.

É verdade que quem comemora são os pais, afinal o primeiro ano de vida de um filho é algo muito especial cheio de descobertas e aprendizados por todos os lados. Temos mais é que comemorar o fato de atravessarmos juntos esse período de renúncias, noites em claro, preocupações e inseguranças. Mas quando você percebe que fez um bom trabalho, tem mais é que juntar as pessoas especiais e fazer aquela festa! Mesmo que seja só com um bolinho caseiro e muitos beijos na sua cria.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Feliz Natal!

Pessoal preciso me desculpar pois não tenho conseguido "blogar". Dezembro é realmente um mês que voa ainda mais quando seu bebê fica doente, seu carro quebra, sua operadora de celular cancela seu contrato e seu marido monopoliza o computador enquanto você poderia colocar mil e uma coisas no blog! Enfim, "inferno astral" à parte ainda estou organizando a festinha do Rei Arthur e pensando afinal, o que vou fazer neste Natal????

Mas tem muita coisa legal acontecendo também, o Arthur tá cada dia mais fofo, imitando tudo o que a gente faz, falando sem parar (pena que eu ainda não terminei meu curso de interpretação para a língua dos bebês) e não entendo quase nada do que ele fala. Tá quase andando (o quase dele gira em torno de 03 meses), tá dormindo QUASE a noite toda (7 horas seguidas já um milagre a essa altura do campeonato), tá mamando um leite mais barato kkkkkk. Uau! muita coisa mesmo...mas prometo que vou contar os detalhes assim que possível. Inclusive o meu sofrimento por desmamar meu bezerrinho.

Por hora só posso desejar que Deus ilumine o Natal de todas as famílias, que Papai Noel traga união e muita mas MUITA SAUDE pra todos nós.

QUERIDAS MAMÃES E PESSOAS NORMAIS QUE ME SEGUEM: TENHAM UM NATAL MUITO ABENÇOADO !!!!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Como escolher o tema da festa?

Como é difícil planejar e executar uma festa infantil! São tantos detalhes, Deus do céu!
E mais difícil ainda é não se deixar levar pela tendência de se projetar na festa do filho, né?  

Normalmente a gente opta pelo mais prático: escolhe um tema pronto, aluga a decoração e manda bala!
Eu que saí da fábrica com uns parafusos a menos, gosto de sofrer  optei em fazer um tema que não acha pronto. Resultado: trabalho em dobro! O mais curioso é que as pessoas perguntam: vai ser do Snoopy mesmo?  Claro que vai, gente!   Acharam que eu mudaria de idéia só porque  5 decoradores me negaram a possibilidade de ser diferente?  Sou uma mãe brasileira, não desisto nunca!
Mas falta muito pra festa do Arthur então vocês só verão o posto em Janeiro de 2012.

Voltando à escolha do tema, o mais legal é que essa era digital facilita muito a vida das mães e demais pessoas que inventam moda. Tem muita idéia boa pra copiar se inspirar.  Aí a gente vê tanta coisa legal e quer fazer tudo. O problema passa a ser o que escolher em meio a tanta variedade.

Fica uma Dica: Leve em conta a idade e as preferências do aniversariante. Além disso é fundamental ter um toque de personalidade na escolha do tema e das lembrancinhas.

Cá pra nós os norte americanos são mais criativos do que nós pra escolher decoração de festa. A gente tem mania de personagem né?!  Dá uma olhada nessa festa com o tema TUBARÃO:




E esse bolo que a festa tinha como tema PRESENTES:




A decoração também pode tercomo tema apenas  a IDADE do aniversáriante. Basta ousar nas peças pra ser original. É o caso dessas aqui:








Essa aqui tem o tema LEAOZINHO. Ó que fofo!!!




Essa  aqui também é inspiradora. Tema BARCO DE PAPEL :




Já pensou no tema MONSTROS? Então,  pensa:




FAZENDINHA para meninas? Por que não?




Ai ai...são tantas idéias lindas que renderia um blog inteiro só pra isso. Alías rendem váááárrriooooss blogs. Aqui tem alguns que eu descobri  enauqnto fazia esse post. Divirtam-se!


http://izisborck.blogspot.com/

http://foodartparty.blogspot.com/

http://blogencontrandoideias.blogspot.com/


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Berço Vertical,como assim??

Assim ó:



















Por: Quartodebebe.net
.
As novidades na vida de uma mãe experiente ou de primeira viagem fazem parte da rotina. Afinal, criar e educar uma criança são desafios que toda mãe experimenta e o dia a dia se torna cada vez mais imprevisível com novas situações e descobertas.
Por isso, quanto mais informações úteis você puder agrupar melhor, pois , na hora de fazer as escolhas comuns na vida de uma mãe ficará mais fácil optar por aquilo que será melhor para seu filho. Mesmo que você esteja nos primeiros meses de gravidez buscar informação é crucial para facilitar seu dia a dia.
A primeira fonte de informação deve sempre ser o médico que acompanha a sua gravidez, ele tem todo o tipo de informação necessária para você e para seu bebê. E quando a criança nasce a tendência é que dúvidas cresçam ainda mais.
Como nós do Quartodebebe.Net buscamos sempre informações úteis para ajudar você nesta jornada, encontramos uma novidade no mercado que promete ajudar seu bebê nos primeiros momentos de sua vida.
A escolha do berço sempre é uma parte delicada na composição do quarto de um bebê, por isso a pesquisa deve sempre ser o primeiro item de sua lista.
Após o parto, ao contrário do que pensamos, o bebê passa por um novo processo, o de adaptação. Dentro da barriga da mãe a criança está protegida e bem servida, pois aquele ambiente foi perfeitamente projetado para acomodá-la e suprir suas necessidades.
Agora, a criança precisa aprender a viver de uma nova forma.
Você se lembra quando aprendeu a andar de bicicleta? Inicialmente, usamos as rodinhas, depois tiramos uma, depois a outra e contamos com a ajuda de alguém até que, finalmente, andamos sozinhos. Este é um exemplo de adaptação. E para facilitar essas mudanças passamos por um processo que nos ajudam a fazer esta transição.

berco cegonha
Este novo modelo de berço promete ajudar recém nascidos de 0 a 5 meses a fazer uma transição de forma mais sutil. Chamado de “Bercinho Cegonha” ele se diferencia  dos demais berços pois seus movimentos são similares ao caminhar das mães. Ou seja, o balançar dele é diferente, pois ocorre verticalmente de forma a facilitar o sono da criança, já que no útero o balanço nina a criança e ela dorme dentro da barriga da mãe sozinha.

berco vertical
Projetado para acolher a criança nos primeiros 3 meses de vida, o bercinho é ideal para ser instalado, inicialmente, no quarto dos pais e depois ser transferido para o quartinho dos bebê. Este berço não substitui o berço tradicional, mas é um facilitador para o desenvolvimento da criança.

bercinho cegonha
Com design moderno, ele ainda possui um visor lateral que facilita os cuidados e deixa a criança sempre a vista da mãe, e sua inclinação possui três níveis diferentes, ideal para crianças que sofrem com refluxo

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Estimulação na dose certa

É muito importante estimular o bebê para que seu desenvolvimento seja adequado à sua idade.
Mas atenção!Forçar a barra pode causar efeito contrário e atrapalhar a ordem natural das coisas.

Veja dicas importantes aqui.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O Manual de Antigamente

 


 

Guia para mães revela antigas regras de especialistas para bebês



14/11/2011 - da Folha.com
SABINE RIGHETTI
DE SÃO PAULO
No começo do século 20, quando a mortalidade infantil atingia 0,16% dos nascidos vivos (cerca de quatro vezes a taxa atual), a relação das mamães com os bebês ganhou mais atenção.

Isso porque melhorar os cuidados com a criança, especialmente na higiene e na amamentação, poderia reduzir o número de mortes por infecções e outras doenças.

Assim tiveram início os "guias maternos" com discurso higienista na primeira metade do século 20, época em que o mercado editorial brasileiro se expandia.

Onze guias dessa época, pinçados em sebos paulistas, foram revistos pela educadora Maria das Graças Magalhães em sua tese de doutorado defendida recentemente na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Nos livretos, os médicos pregavam que as mães impusessem em casa um ambiente "hospitalar", livre de micro-organismos. A ideia difundida era que uma vida regrada garantiria a saúde e a docilidade das crianças. "Dizia-se, por exemplo, que a mãe não deveria beijar o bebê", conta Magalhães.

CRENDICES

Além disso, boa parte dos pediatras lutava contra crendices populares. Por exemplo, ensinava-se que amuletos não curam e que dar a água do primeiro banho para o bebê tomar não deixaria a criança mais bonita.

"O Brasil é um país multiétnico, com grande quantidade de imigrantes. Há crendices vindas de
todas as partes", analisa a educadora. A especialista, no entanto, não acredita que os guias substituíram as "conversas de comadre".

O que ela observou foi que as mães se apropriaram das informações para fazer recomendações a outras mulheres, suprimindo ou acrescentando dados. A tradição feminina de trocar conselhos é, inclusive, destacada no "Guia das Mãezinhas", de 1937.

O autor, o médico Wladimir Toledo Piza, recomenda que as mães sigam os conselhos médicos no lugar de ouvir as amigas e vizinhas "que ensinam o que não sabem porque não estudaram".

Além dessa imagem das leitoras como "tricoteiras", os guias também consideravam a mulher como dispersiva, romântica e com dificuldade de concentração para leituras contínuas --algo parecido com algumas revistas femininas da atualidade.

MAMANDO NO PEITO

Outro trabalho dos guias maternos era incentivar a amamentação no peito pela mãe --campanha que ganhou forma já no final do século 19.

Nessa época, as mulheres ricas mantinham amas de leite, ou seja, mulheres que tinham dado à luz e que ganhavam uns trocados para amamentar os bebês da elite.

"A preocupação dos médicos era com a transmissão de doenças pela amamentação e com a saúde dos bebês das amas, que ficariam com menos leite", explica Magalhães.

Esse discurso vai mudando conforme o leite industrializado ganha força no Brasil --época em que a indústria de alimentos também passa a produzir guias maternos para divulgar os seus produtos.

A ideia de levar a higiene para casa ensinando as mulheres não foi uma novidade dos guias para as mamães.

De acordo com Magalhães, as professoras da escola normal (para meninas) já educavam as garotas sabendo que elas levariam conceitos de higiene para toda a família.

Mas, no caso dos guias, havia uma proposta de responsabilizar a mulher pelas práticas de higiene. "A figura do homem quase não aparece nos livretos", diz Magalhães.

Isso só muda na década de 1950, quando a mulher ingressa com mais força no mercado de trabalho. Mesmo assim, o homem só aparece nos livretos como a figura que dá a palavra final.


terça-feira, 15 de novembro de 2011

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

domingo, 13 de novembro de 2011

As inevitáveis comparações

Enquanto isso num Supermercado:

Uma completa estranha me viu com o Arthur no Sling e pergunta: Quantos meses ele tem?

Eu respondo: 10 meses.

Mulher: Ele já anda?

Eu: Não, só engatinha.

Muher: NOOOOOOSSSAAAAAA menina!!! Ué...você acostumou ele no colo né..as vezes é por isso.

Resposta que eu gostaria de dar: "Vem cá, eu te conheço???"

Resposta que eu dei: É, pode ser...

Mulher: Minha netinha tem 8 meses e já tá quase andando. Também meu filho estimula muito, ele fica muito com ela no andador.

Eu (com cara de paisagem): Ai que bom! ... vamos Arthur tá na hora da Teta!!!

Mulher: O quê? ele ainda mama em você??? Minha neta já até segura a mamadeira!

Eu (já irritada com vontade de ser bem grossa mas com um sorriso bem forçado): Tchau, tudo de bom pra Sra e pra sua netinha!

Ai ai ai...minha nossa senhora das mães revoltadas, dai me conformação!!!! Se ela queria me frustrar, pegou a pessoa errada!


Não é que eu não goste de comparar meu filho. Acho até saudável trocar figurinha com outras mães sobre o desenvolvimento dos bebês. Mas ficar nessa competição não dá né?
O Arthur tem amiguinhos mais velhos, mais novos e da mesma idade e sempre rola aquela conversa inevitável:
 - meu filho tinha dente com 4 meses ( No Arthur saiu o 1º com quase 10 meses). ;
 - o meu  dava tchauzinho com 4 meses ( O Arthur aprendeu isso com 8);
-  a minha jogava beijo com 5 meses ( Ainda tô tentando ensinar isso pro Arthur  mas ele num quer aprender) ;
minha filha andou faltando dias pro aniversário de 01 ano ( pelo andar da carruagem o Arthur vai andar com 1 ano e meio rsrsrs) .

É bom saber desses marcos de desenvolvimento principalmente quando se trata dos amigos,  pessoas pelas quais temos grande carinho.  Sei também que as mães não falam isso pra querer mostrar que seus filhos são melhores ou piores. Mas francamente não  me preocupo em fazer do Arthur um bebê que recordista.
Muito antes de ser mãe eu já tinha essa consciência de individualidade.  Cada bebê/criança/pessoa tem seu tempo.

Graças a Deus o tempo do Arthur até agora tem sido bem na média...nem de mais, nem de menos. Assim podemos curtir juntinhos cada fase.



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Os Pais são o primeiro exemplo

Mesmo que você pense que seu filho não entende certas coisas,  tenha certeza de que as crianças percebem exatamente tudo que acontece ao seu redor.
Quer um exemplo? Um belo dia o Arthur me olhou atentamente nos olhos, segurou meus ombros e me lascou um beijo na boca. Assim, com 8 pra 9 meses de vida! Isso porque vê o papai fazer isso todos os dias quando sai ou chega em casa.
Pesquisando sobre o assunto  achei diversas teorias mas todas culminam para o mesma máxima: criança é aquilo que vive.  Cedo ou tarde irá manifestar de alguma maneira tudo aquilo que vê e vivencia desde a sua concepção.
A psicóloga Elizabeth Lombardo afirma que “As crianças seguem exemplos antes mesmo de compreenderem a  comunicação verbal.” (isso explica o beijo na boca do Arthur).
“Nós nos focamos no ensino verbal e nos esquecemos  da importância de nossas ações.”
Então, Papais e Mamães muita atenção aos bons e principalmente aos maus hábitos que cultivamos. Isso será usado contra vocês quando menos esperarem.
Aproveite a oportunidade para ensinar coisas boas e quem sabe os bons frutos virão no futuro.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Nasceu!! E agora?

Orientações médicas que recebi junto com a alta do Arthur mas eu só li direito depois de sofrer um dia inteiro com ele chorando de cólica. E me perguntando por que não me deram um manual.

Alimentação
Leite materno à vontade; oferecendo o peito sempre que o bebê solicitar e não ultrapassando intervalos de 3h. ( O Arthur entendeu 30 min.)
Não amamentar com o bebê deitado; (Faço isso até hoje, meu filho nunca teve dor de ouvido por causa disso. Sorte a minha.)
Para saber se o bebê está mamando um volume bom de leite, preste atenção à quantidade de xixi que ele faz.

Cólicas
Comum até o final do terceiro mês de vida. Aquecer a barriga do bebê e com o aval do pediatra medicar se necessário.
A mãe deve alimentar-se normalmente e beber muita água. ( O pediatra que recepcionou o Arthur disse também para evitar consumir leite e derivados, feijão e refrigerantes. Muita gente foi contra a minha decisão de seguir a risca essas recomendações dizendo que consumir leite era essencial para produzir bom leite. Um belo dia resolvi tomar iogurte e o pequeno até suou frio de tanta cólica L . )


Umbigo
A queda do coto ocorre geralmente até o décimo dia de vida. Enquanto isso não acontece deve-se limpar com álcool 70% em toda troca de fralda.  É normal se ocorrer sangramento discreto durante a limpeza ou após a queda do coto.
Não usar faixa. ( Ai ...mais uma polêmica na minha vida de mãe! Ignorei toda a falação na minha orelha e resolvi seguir a orientação médica. Deu tudo certo.)

Higiene
Banho diário com sabonete neutro
Não usar talcos, perfume e hidratantes ( Na 1ª consulta com o pediatra do Arthur perguntei porque não poderia usar aquele monte de coisinhas cheirosas que ele tinha. O pediatra riu e perguntou: Quem disse que não pode???)
Na troca de fralda, usar água e sabonete, ou algodão ou ainda lenços umedecidos. ( Até o Arthur fazer 3 meses  usei só algodão mas depois que descobri a praticidade dos lenços umedecidos adotei o uso quando saia de casa. Hoje uso quase sempre nas trocas de xixi e quando o cocô é fora de casa. Mas nada melhor que o bom e velho chuveirinho.)
Usar pomada indicada pelo pediatra para prevenir assaduras.

Banho de sol
Iniciar após a alta hospitalar todos os dias só de fralda por 15 minutos antes das 9h da manhã ou após às 16h ( 17h se for horário de verão. É bom proteger a cabeça e os olhinhos do bebê). 
Outras observações ( Que eu não li no dia da alta e depois fiquei fazendo perguntas idiotas)
Quando levar o bebê para 1ª consulta? Agende  no primeiro dia após a alta.
Quando tenho que dar vacina? O bebê já sai do hospital vacinado contra Hepatite do tipo B. E no 1º mês de vida deve tomar a BCG. Depois basta seguir o calendário do Estado.
O teste do pezinho não foi feito no hospital e agora? Ele pode ser feito no hospital que o bebê nasceu ou no posto de saúde até o 5º dia de vida.

Calma, mãe!É normal:
Ficar com o nariz entupido.  Se ocorrer usar soro fisiológico 0,9% em cada narina sempre que necessario. (Isso o Arthur não teve).
Espirros, Soluços e pequenas golfadas; ( Isso o Arthur teve muuuuuuiiitttoooo)
Tem bebê que não arrota. Mesmo assim é necessário deixa-lo em pé no colo por no mínimo 10 minutos para evitar que ele regurgite.
Na menina pode ocorrer secreção vaginal esbranquiçada e as vezes sanguinolenta.







terça-feira, 18 de outubro de 2011

Sempre vai existir na vida de uma mãe

A gente sabe que aquela história de que "filho a gente cria pro mundo" é a maior verdade que existe.
Mas por favor alguém me explica porque SEMPRE vai ter gente que diz CONHECER seu filho melhor do que você que é a mãe????
Por que sempre aparece alguém que:
Quer te ensinar sobre os hábitos do seu filho?
Que quer saber mais do que você sobre os gostos do seu filho?
Que quer saber melhor do que você as necessidades do seu filho?

 Podem me chamar de chata, eu admito que sou.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Confissões de Mãe (Especialmente para Érica)

Esse texto estava numa revista que ganhei na maternidade no dia seguinte ao nascimento do Arthur. Achei fantástico, maravilhoso! Só queria ter tido a chance de ler antes do pequeno nascer. Por isso resolvi presentear a Érica (seguidora que está a espera do anjo Gabriel) com essa leitura totalmente real e muito útil.

Confissões de Mãe
Por Juliana Sampaio e Laura Guimaraes, autoras dos livros Mothern - Manual da Mãe Moderna (Matrix, 2005) e As 500 melhares caisasde ser  mãe(Matrix, 2007).

 
. . . e então finalmente passaram-se os nove meses e agora ele esta aí, aconchegadinho nos seus braçoos.
No final até que correu tudo bem, e você nem sofreu tanto quanto imagina­va. Mas, confesse pra gente que o que mais nos passa pela cabeça nesse momento sublime é...
E agora?!!!! Junto com cada bebê  nasce uma mãe cheia de dúvidas.  O que fazer com essa pessoi­nha, ao mesmo tempo desconhecida e tão sua? Será que você está mesmo pronta para levar essa coisinha minúscula para casa, depois que receber alta daqui? Será que não dava primeiro para en­sinarem seu bebêzinho a falar, afinal você ainda não tem a menor ideia se aquele chorinho nervo­so é fome, frio ou fralda suja?
Só quem já passou por isso sabe o impacto que é na vida de uma mulher o nascimento do primeiro filho.
Mas não se preocupe; muita gente já passou, inclusive a gente, e, se não te prepa­ram antes para o monte de novidades que de agora em diante vem por aí é porque... bem, vai ver é porque tiveram medo que você desistisse. Mas agora, você sabe, isso não e mais possível, então podemos falar claramente.
Encare a realidade, amiga: uma hora você vai sair do hospital e as pessoas realmente esperam que você leve consigo essa trouxinha chorante. Mas não se preocupe, a natureza e sábia e fez os bebês humanos altamente fofos, justamente para que você se encante tanto com cada dobrinha do corpinho dele que não se esqueça de amamen­tá-Io mais ou menos de três em três horas...
De qualquer forma, você não esqueceria, porque o ser humane recéem-nascido geralmente vem equipado com cordas vocais poderosas, com o objetivo de avisar quando alguma coisa está errada e deixar pais e mães de primeira viagem meio malucos.
Preparada para o que vem por ail Não se ilu­da: é claro que não. Ninguem está. Apesar da in­sistência com que presenteiam crianças do sexo feminino com bonecas de todos os tipos e tama­nhos, para que elas cresçam preparando-se para este momento, esquecem de nos treinar para as adversidades da vida motherna.
Por exemplo, as noites. Até então a noite era aquela parte do dia em que você se jogava na ba­lada, sem hora certa para dormir. Bom, esta parte de "sem hora certa para dormir" não vai mudar muito. De agora em diante, quem faz os seus ho­rários não é você, nem seu chefe, nem o flyer do inferninho: é a criança. Se você tem experiência com ioga e relaxamento, essa é a hora de pôr em pratica aquele momenta oooooommmmmm. Funciona assim: o bebê é pequeno e ainda não consegue encher toda a barriguinha de leite. Então, em intervalos de algumas horas, ele vai solicitar o seu peito, seja chupando o dedinho, gemendo ou berrando mesmo.  Como você está por conta de ser esse laticínio em forma de gen­te, vai prover o alimento. Dê o peito quando a criança pedir. Não fique cronometrando as três horas exatas. Sabemos que você quer ser uma ótima mãe, mas acordar o bebê para mamar é algo, digamos, masoquista. Bom, voltando ao re­laxamento... é assim: como você vai dormir em módicas prestações, é importante (aliás, funda­mental) que consiga ao menos cochilar quando seu bebê dorme. Não importa se a visita está na sala, se é o último capítulo da sua novela, ou se está rolando uma rave no salão do seu prédio. Avise ao pai da criança que você morreu por en­quanto. Deite-se e pense num lago azul e calmo. Relaxe os membros. Quando você conseguir dor­mir, seu filho acordou pra mamar de novo. Nor­mal. Quando você final mente dominar a técnica do relaxamento, ele já vai estar dormindo a noite toda. É tudo uma questão de tempo.
Uma outra questão que costuma aparecer na vida de pais recentes é a divisão do trabalho. No começo não tem muito jeito: você é a única no casal que pode amamentar, não tem como es­capar. Mesmo porque dar de mamar e uma sen­sação deliciosa mesmo. Se tiver problemas no seio, e ficar machucado, procure ajuda médica. Ninguém é obrigado a padecer, nem mesmo no paraíso.
Com o pai da criança ficarão as outras funções que não dependem de peitos, como tro­car fraldas, receber visitas e dispensá-Ias quando você olhar pra ele com cara de exausta.
Mas isso tudo é pra dizer que você não pre­cisa desesperar. Que ninguém nasceu sabendo ser mãe e que todo mundo acabou aprendendo. Você - aliás, vocês - também vão conseguir. E, mais rápido do que pensa, vai esquecer toda a trabalheira, todas as pequenas dificuldades deste comecinho. Porque, muito maior do que o traba­Iho, é o amor absurdo que você vai construindo, aos poucos, por essa trouxinha linda.


quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Não se fazem mamadeiras como antigamente...Ainda bem!

É que desde sempre as mamadeiras de plástico possuem em sua composição o policarbonato que contém Bisfenol A.  Parece nome de remédio pra gripe mas não é. O Bisfenol A (BPA) oferece riscos à saúde de bebês porque o corpo deles ainda não tem capacidade de eliminar a substância.
A grande preocupação é com o efeito sobre hormônios sexuais. O BPA poderia provocar puberdade precoce, câncer, alterações no sistema reprodutivo e no desenvolvimento hormonal, infertilidade, aborto e obesidade. Sendo assim, a ANVISA proibiu recentemente a venda e a fabricação desse tipo de mamadeira.

Atenção Mamães: Só comprem mamadeira se tiver uma indocação de BPA Free ou Livre de BPA. Já existem muitas marcas disponíveis no mercado.

Na época em que eu comprei a mamadeira do Arthur me recomendaram a de vidro justamente por não oferecer riscos desse tipo. Mas sinceramente a idéia de usar uma mamadeira de vidro não me soou bem. Desastrada do jeito que sou seria o mesmo que andar apontando uma arma pro bebê.

domingo, 25 de setembro de 2011

Em busca do pediatra perdido

Semana passada conheci uma mãe que busca desesperadamente um pediatra para o seu filho.
Detalhe: o filho dela tem convênio médico e já passou por 4 "profissionais" mas nenhum deles foi atencioso o suficiente para resolver o problema do bebê de 8 meses que não dorme.
A história é longa mas vou resumir contando apenas os fatos que mais me chocaram, ok?

Médico 1  Nem tirou a criança do bebê conforto para avaliar. Não mediu, nem pesou, nem olhou ouvido, nem garganta. Sequer tocou no paciente.

Médico 2 Maca do consultório forrada com o mesmo papel para todos os pacientes, vários palitos linguais usados ao redor  (não era possível saber se era usado ou limpo), lixo pelo chão e médico que não trocou nem as luvas.

Médico 3 Após dizer à mãe que se o bebê pegasse catapora do irmão mais velho seria FATAL, se recusou a atender o bebê quando apareceram os primeiros sintomas porque a mãe atrasou 15 minutos para a consulta. (Imaginem o desespero dessa mãe.)

Médico 4:  Recomendou dieta idêntica a dos adultos ao bebê de 08 meses que não tem um dentinho sequer na boca:  " Mãe, a partir de agora ele pode comer a mesma comida que você. Pode ser lazanha, feijoada o que for...Café da manhã tem que ter pão com manteiga, leite, café e frutas. Não tem necessidade de dar leite mais. No máximo 3 mamadeiras por dia."
Além disso receitou Omeprazol para o bebê porque sem fazer exames já diagnosticou Refluxo.  Não satisfeito ainda receitou um calmante para o bebê dormir que deu efeito colateral fortíssimo causando inclusive falta de ar.

Não dá pra acreditar, não dá pra comentar...só lamentar e protestar. O que está acontecendo com os profissioanais da área de saúde?????

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Papinha

Quem tem bebê e acha que dá trabalho fazer papinha em casa pode contar com algumas opções como "aquela industrializada" sabe? Daquela marca famooooossaa que tem 90 anos de tradição e já caiu nas graças de mães e bebês.
O Arthur já comeu mas não dá pra dizer que é a comida preferida dele.
Eu particularmente ADORO fazer a papinha pro meu bebê mas confesso que senti uma pontinha de inveja de que mora em São Paulo e pode se dar a esse luxo: Papinha Delivery ...orgânica e super saudável tudo de bom!  As vezes a gente tá tão esgotada que uma comodidade dessa seria "o Paraíso" na terra das mães que nele padecem. Alguém se habilita a Plagiar a idéia?

Banner
http://www.emporiodapapinha.com.br/

Porque é Primavera ...


Coisa boa é a chegada da primavera. E o que isso tem a ver com "Mãe" ? Tudo!!!
Na primavera tudo floresce, tudo brota, tudo nasce ou renasce, os ares mudam e a vida fica mais colorida. Mais ou menos como  o coração de uma mulher quando vira mãe. Viva a Primavera!!!

sábado, 10 de setembro de 2011

Quarto do Bebê

Dicas fresquinhas direto da Revista TPM para quem está planejando o quarto do bebê:

Adriana Victorelli dá dicas para quem está montando o quarto do bebê


Uma coisa que adoro é decorar quarto de bebê. Primeiro porque os pais liberam a imaginação e deixam a gente usar cores, texturas, tecidos, móveis e iluminação sem medo de ser feliz, segundo porque os dormitórios para bebês têm (quase) sempre aquele ar angelical, daqueles lugares que dão vontade de ficar por um tempão e na prática é o que acontece, pelo menos com a mãe e o bebê.
Depois que minha filha nasceu, abri muito mais o horizonte para este campo, pois pude sentir as reais necessidades do espaço. Para ajudar quem está montando o ninho do seu bebê, seguem  algumas dicas de decoração funcionais com exemplos muito charmosos:

Cama e/ou Poltrona
Para quem tiver espaço opte pelos dois! Amamentar é uma tarefa que exige muito das suas costas e, quanto mais confortável o lugar para voce se sentar, melhor será. Além disso tem modelos lindos de poltronas que às vezes serão o centro das atenções nos quartos, depois do bebê é claro! Prefira os modelos com braços e sempre deixe uma mesa de apoio ao lado para ter ao alcance um copo d´água, relógio, telefone e tudo o mais. A cama também é superútil principalmente naquelas noites em que o bebê nao quer dormir, mas você sim! Caso só tenha espaço para um dos dois, fique com a cama pois ela servirá, de forma prática, para as duas coisas.

O berço
Primeira coisa a se levar em conta é o tamanho pois encontraremos sempre dois padrões no mercado, e isso ditará toda compra do enxoval. Segunda - e não menos importante - é verificar se ele atende à todas as normas de anatomia e segurança para o bebê. O berço deve ter todos os acabamentos arredondados e regular alturas de grade e/ou do estrado. Temos no mercado alguns formatos diferenciados de berço que são um charme, redondo, oval e até quadrado, mas tome cuidado pois nem sempre é fácil encontrar roupa de cama e colchão compatíveis.

Trocador
Item indispensável! Ali deverá ter espaço para acomodar o bebê e mais: fraldas, pomada, algodao, cotonete e garrafa térmica. Pensando na segurança também devemos evitar qualquer acabamento reto neste móvel. E é melhor priorizar os colchonetes que mantêm o bebê de frente. Quando não houver espaço, mantenha o tradicional. Sempre prefira colchonete, futon ou almofada com proteção plástica para facilitar a limpeza nos incontáveis xixis que escaparão para fora da fralda.

O restante do quarto é cenografia. Adereços, cores, objetos, pinturas decorativas, enxoval... vai depender do sexo, estilo, preferências dos futuros papais.

(*) Adriana Victorelli é arquiteta da Neo Arq. e do blog Fui Morar Numa Casinha

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Bebê(s) a Bordo: A 1ª viagem a gente nunca esquece.

Antes que alguém chame o Conselho Tutelar vou explicar por que o Arthur foi pro Paraguay comigo: é que meu marido tinha uma reunião de negócios em Foz do Iguaçu e como uma coisa leva a outra a gente aproveitou o final de semana para passear.  E apesar do Arthur odiar andar de carro naquela cadeirinha do mal a viagem foi ótima. Fomos ao Parque Nacional das Aves e também conhecemos as famosas e maravilhosas Cataratas do Iguaçú. Foi um passeio inesquecível por vários motivos.

Eu confesso sob tortura que tava com o maior medão. Sabe aquela coisa de mãe de 1ª viagem:
E se ele chorar muito no avião, e se estranhar a cama do hotel? E se ficar doente? E se não comer aquela papinha industrializada? E se tiver uma alergia? E se a fada do dente não exisitir? E se não fosse a cana?

Ai meu Deus, tantas preocupações! Inúteis...totalmente inúteis. Por que que a gente nunca pensa assim:
E se a viagem for ótima ? e se ele se divertir? e se eu  aproveitar pra tirar o stress e curtir um final de semana em família?

Tirei um milhão e meio de lições positivas dessa viagem a maior delas é: SAIR DA REDOMA FAZ BEM PRA SAÚDE!

E pra contradizer a mim mesma vou deixar alguns conselhos pra quem ainda não botou o pé do bebê na estrada:

1. Tenha companhia agradáveis: isso vale pra qualquer viagem. Tudo fica melhor quando a companhia é boa. No caso dessa viagem foi maravilhoso estar ao lado de gente bem humorada e divertida.

2. Leve na mala do bebê tudo aquilo o que seu coração superprotetor de mãe mandar: roupa de frio, calor, meia estação, lençol, coberta, travesserinho preferido, um exagero de fraldas, brinquedinhos, remedinhos etc. Acredite em mim: quando o assunto é criança melhor pecar por excesso do que por falta de cuidados.

3. Tenha um carrinho leve e dobrável pro bebê passear: colo é muito bom mas a coluna dos adultos tem prazo de validade. Eu levei o sling e mais uma vez foi super útil, mas precisei também pegar o carrinho do Jaime emprestado.

4. Aproveite a viagem para observar os hábitos e comportamentos do seu bebê. Talvez em casa você não perceba algumas necessidades do seu filho principalmente na presença de outras pessoas.

5. Quanto menor a criança, mais fácil é a viagem e quanto mais cedo começam os passeios menos os pais sofrem.

6. Tire o RG do seu bebê o mais rápido possível: principalmente se você tem o hábito de passear sempre. Não consegui entrar na Argentina com o Arthur porque ele não tem RG  ... buááá  :(   . Esse documento é exigido em várias ocasiões sem contar que é mais prático do que carregar certidão de nascimento pra cima e pra baixo. Não espere precisar para providenciar os documentos porque numa viagem de última hora a coisa fica complicada então por que não tirar também o passaporte?

7. É super importante montar um check list com antecedência e pensar assim: Se eu estivesse agora em tal  lugar como faria pra trocar uma fralda ou alimentar o bebê...essa brincadeira de faz de conta ajuda bastante. É uma espécie de simulação que faz a cabeça confusa de uma mãe que não dorme a meses funcionar em caso de necessidade.

Pesquisando um pouco aqui e alí você encontra aquelas dicas que todo mundo dá mas a gente sempre esquece de colocar em prática com a correria e cabeça cheia.  Aproveite as dicas e "Bon Voyage"!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Bebê (s) a Bordo: Rumo ao Paraguay

foto: blog tocando.org

A última aventura da mãe louca que vos escreve  foi levar o filhote para sua primeira viagem. Não contente em viajar de carro e depois de avião com um bebê, fomos com dois bebês. Pois é, o Arthur tem um amigo lindo, fofo, esperto e meigo chamado Jaime que junto com seus pais foi nosso companheiro de aventura rumo ao Paraguay. É isso mesmo gente: P A R A G U A Y aquele país vizinho sujo, cheio de galerias espremidas e muambas pra comprar.
Em meio a bugigangas eletrônicas, muito calor, lixo pra todo lado e um trânsito que quase atropelou a mãe do Jaime, nossos bebês se divertiram muito. Olhavam tudo e davam tchauzinho para todos, foram apertados, levemente beliscados e beijados por aquele povo "taããão acolhedor".
E eu que sempre lavo, esterelizo e limpo os objetos de uso do bebê me vi em um banheiro de "shopping"  minúsculo trocando o Arthur em cima da pia ( com o trocador de bolsa pelo menos), com vááários produtos de limpeza em volta. Foi a experiência mais apavorante (para a mãe) ao mesmo tempo cômica  (para o bebê) nesses 8 meses de vida pós-útero do pequeno. Acontece que na entrada do banheiro tinha uma simpática moça que recebe R$ 0,50 de cada pessoa que usa o "toillete". Ela tinha mais ou menos uns 3,5 cm de unha pontuda em cada dedo, mascava um chiclete com a boca aberta e usava uma maquiagem " a la Casa da Luz Vermelha".  Até aí tudo bem! Pena que ela viu as coxas do Arthur de fora e resolveu entrar pra aperta-las. Quando me dei conta ela estava BEIJANDO o menino de cima a baixo, nem a "pirrola" escapou! Ela só recebia o dinheiro e nem lavou a mão antes de apertar as bochechas e as coxas dele, o que é que tem de mais né?! O que eu podia fazer? Ele gostou tanto dela, ria de gargalhar enquanto ela falava : "muy hermosooooo" .  Então acho que não preciso explicar mais nada. Quem me conhece sabe o quanto aqueles minutos demoraram a passar.
Mas além dele ter gostado não pegou brotoeja, nem sapinho, nem conceira, nada...sobreviveu e resistiu com louvor a todos os germes, bactérias e colifórmios do banheiro, da moça e do Paraguay...Graças a Deus!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Eu, Rita G. , 28 anos, revoltada ...pra variar

Assistindo ao Jornal da Band hoje uma matéria muito interessante sobre o faturamento milhonário do segmento Pet me chamou atenção. Na minha opinião é muito estranha essa nossa sociedade que trata  "bicho que nem gente" e "gente que nem bicho". Mas até aí, tudo bem! Dá pra relevar e aceitar as extravagâncias que algumas pessoas fazem gastando R$ 400,00 por mês com ofurô pra cachorro ou fazendo cauterização de pelos, colocando o mascote pra dormir em lençóis de seda etc.
Tá legal cachorro, gato, papagaio, peixe, hamster...animal é mesmo tudo de bom mas as pessoas estão perdendo o senso!
 Nunca vai entrar na minha cabecinha de vento como pode uma pessoa falar isso em público: " ...É um amor incondicional (...) eu e meu marido optamos por não ter filhos e o cachorro faz bem esse papel, supre tudo".

COMO ASSIM???? SURTEI!!!...

Comentários desse tipo  só podem sair da boca de quem nunca ouviu o chorinho do seu próprio filho, nunca beijou mãozinhas tão pequenas que nos deixam hipnotizadas e pensando "Mas como pode ter saído de mim essa coisinha tão perfeita?" e que nunca acordou de manhã com um lindo sorriso sem dente esperando um colo de mãe.

Pena ... muita pena das mulheres que pensam assim... Senhor, perdoai a moça da reportagem, ela não sabe o que diz!

Perdoai também quem fez isso com esse pobre cão:
infelizmente não sei de quem é a foto bizarra.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A Fase do Carrapicho

Pessoal, desculpem o abandono do bloguito mas o computador esteve no SPA, tava estressado de tanto meu marido jogar DOTA. Com esses dias sem computador perdi coisas importantíssimas como a Semana Mundial da Amamentação 2011 e o Dia dos Pais mas  depois das lágrimas derramadas sobre o calendário já me conformei e resolvi virar a página contando pra vocês sobre a Fase do Carrapicho.

Diz uma amiga minha, que a irmã dela diz e que por sua vez provavelmente ouvia de outra pessoa: "Filho é que nem Vídeo Game, só vai passando de fase." E o meu tá na Fase do Carrapicho.

Já contei aqui que meu pequeno ama um colinho e que eu amo dar colo pra ele né?! Pois então, de umas semanas pra cá o rebento não quer saber de mais nada na vidinha mansa dele a não ser ficar literalmente grudado e pendurado à mãe.

Chega a ser engraçado: tá com o pai ou com a vó ou com a madrinha ou com o tio enfim...qualquer pessoa tá bom desde que não me veja. É só eu passar  num raio de 1 km de distância e o radar do bichinho detecta a presença da "teta". É incrível! O equipamento  dele nunca falha! Errou quem me disse: " a tendência natural é ele ir mamando menos". Ledo engano. O tempo só fez ele descobrir que o peito serve pra saciar a fome, coçar a gengiva,  acalmar a irritação, se sentir seguro em ambientes estranhos, me manter por perto sempre que ele desejar, auxiliar para eliminação de gases etc.

Brincadeiras à parte a verdade é que o Arthur está atravessando uma época que todo bebê passa:
a terrível dor da separação. Nessa idade (por volta dos 8 meses) o bebê começa a perceber que ele e a mãe são pessoas distintas e isso o deixa confuso, ansioso, agitado. Leia aqui para entender melhor As Quatro Crises de Crescimento.

A Boa Notícia: é normal!
A Má Notícia: a brincadeira tá só começando...vem muito mais por aí.

Enquanto isso vou aprendendo junto com ele como funciona esse relacionamento tão lindo entre mãe e filho.

Foto: Anne Guedes

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Oração das Mães

A brincadeira é assim: eu começo vocês continuam...

Oração das Mães

Senhor, que eu me acostume a ter um pedaço do coração morando fora do meu peito.
Que eu assuma que a Culpa nasce junto com o título de Mãe.
Que eu não insista em fazer do meu filho tudo aquilo que eu não fui.
Que eu saiba a hora certa de dizer não ao meu filho e que ele entenda que isso não significa que não o amo.

Opa! pera aí...isso tá muito sério...não adianta eu querer enganar a Deus. Ele sabe que essa versão não é minha. Melhor começar de novo.

Senhor, que eu seja forte para suportar todas as opiniões que recebo sem pedir.

Que não me falte corretivo nem blush para  disfarçar  as noites mal dormidas.

Que meu marido entenda que trocar fraldas não contamina as mãos.

Que eu saiba diferenciar uma birra de uma manha.

Que eu resista  à tentação daquele olhar de "Gato de Botas do Shrek" que toda criança sabe fazer.

Que nunca me falte paciência para contar a mesma história, ouvir a mesma música, assistir ao mesmo desenho ou brincar da mesma coisa pela milésima vez.

( Agora é com vocês)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Paternidade Absoluta

Se ser mãe tem lá seus desafios, ser pai também não é fácil!
Esse é pra começar a semana com bom humor:

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Quem tem medo do Lobo Mau?

Hoje em dia ninguém tem medo do "Lobo Mau", nem da "Cuca", muito menos do "Boi da Cara Preta" (a maioria das crianças nunca nem viu um boi de perto!).
Criança hoje tem medo de ficar sem celular, sem notebook, medo da internet sair do ar e não voltar nunca mais...
Nem dá pra acreditar que um dos brinquedos favoritos do Arthur é a camera digital.... Meu Deus! Esse mundo tá mesmo perdido!!!!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Fluorose...mãe de quem???

Mais um palavrão novo! Uma das coisas chatas de ser mãe é que a gente começa a aprender vários nomes de doenças e remédios e palavrões tipo esse: Fluorose.
Junto com a introdução da papinha começa também o aumento da preocupação com a higiene oral do bebê.
Até então bastava gaze embebida em soro fisiológico após as mamadas, mas agora é preciso iniciar a "escovação" e foi aí que o pediatra indicou um creme dental sem  flúor....hã??! eu nem sabia que existia isso muito menos que criança até 04 anos tem grandes chances de desenvolver  a tal da Fluorose*.

* "Alteração que ocorre devido ao excesso de ingestão de flúor, durante a formação dos dentes. Ela se manifesta principalmente pela alteração da cor do esmalte, que pode assumir uma tonalidade esbranquiçada ou exibir pequenas manchas ou linhas brancas. Uma das maiores causas é a pasta de dente com flúor, que muitas crianças engolem durante a escovação. O bochecho contendo flúor também pode contribuir, se for indicado para crianças que ainda não tenham o controle adequado da deglutição."

Uau!!! Quanta novidade nessa vida materna hein???

E se você não conhece esse ratinho escovando os dentes significa que você é muito mais jovem que eu então vê se não conta pra ninguém que fui eu que te mostrei tá?

Roc, roc, roc....branco como coco, branco como leite, branco o dente é, brancão!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Assaduras

Respondendo ao comentário de uma leitora:


Oi Rita, estou adorando seu blog. Será que tem dicas prame dar sobre assaduras? Minha bebê tem 4 meses e está sofrendo muitom já tentei mudar a pomada mas não funcionou e me disseram que é o meu leite porque ela só mama no peito ainda, será que faz sentido? obrigada Renata e Ruth(minha princeza)


Renata, não sei se posso ajudar muito porque o Arthur vai fazer sete meses e graças a Deus tive sorte até agora. Ainda ontem me perguntaram se as várias dobrinhas dele não assam mas ele nunca teve assaduras. Dizem até que assadura depende muito da própria criança mas claro, sempre vale conversar com o pediatra né?!
Eu não sei te indicar tratamento mas como PREVENÇÃO adotei uma medida super fácil: deixar sem fralda pelo menos 1 hora por dia. Tem mãe que não gosta porque tem medo do bebê ''fazer sujeira" e realmente às vezes acontece um acidente mas não é nada que a máquina de lavar não resolva.

Eu faço assim: no período da manhã e no período da tarde entre um cocô e o banho deixo ele sem fralda sob um cueiro ou fraldinha de pano brincando ou no colo mesmo. Faço isso desde que ele nasceu só que no inverno, em dias muito frios eu enrolo numa manta ou  visto uma calça mesmo e quando ele faz xixi eu já troco em seguida. Outra coisa que eu faço é não economizar na fralda. Sei que não é ecologicamente correto mas prefiro trocar mais vezes a arriscar que ele fique assado. Os bebês são imprevisíveis né...pelo menos o meu é! Tem dias que faz mais xixi, outros dias  menos. Então por via das dúvidas eu evito esperar até a fralda ficar pesada de xixi. Troco pelo menos a cada 3 horas no máááximo. 
Eu uso pomadas que tenham dióxido de zinco para prevenir, não uso talco, nem óleo e sempre procuro retirar toda a pomada que entrou em contato com o xixi antes de passar outra camada.

Tem um site que recomendo pra todas as mamães porque eu sigo desde a gravidez. É o bebê.com.br nele tem muita coisa legal e achei uma matéria sobre esse assunto. Entra  que com certeza vai ajudar, depois me conta se deu certo. Espero que você e a pequena Ruth superem rápidinho essa fase chata, tá?! Obrigada por participar! Beijos.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Sling ou Canguru?

Há quem não goste de nenhum mas eu fico com os dois!
Dá liberdade de movimentos e ameniza o peso na coluna da mãe.
No caso do meu filho que é agitado os dois serviram como calmante e às vezes até sedativo!
Ambos são laváveis, seguros e confortáveis para o bebê.




Canguru
No começo eu tinha medo de usar e o bebê ficar incomodado. Mas conversei com o médico, pesquisei o assunto na internet e resolvi tentar. Na primeira vez ele tinha quase 2 meses e ficou meio desajeitado. Reclamou um pouco mas depois eu descobri que ele estava com sono. Já na segunda vez coloquei e ele só reclamou porque não queria mais sair. Uso até hoje, em casa, no clube ou na rua.
Vantagens: é super prático pra vestir, super seguro e excelente enquanto o bebê está acordado.
Desvantagens: só permite uma posição e quando o bebê dorme fica um pouquinho desajeitado porque o corpo cai pro lado.
Foto: tochegando.com

Sling de argola
Esse o pediatra do Arthur disse que não recomendava por ser muito recente e dividir a opinião de especialistas no quesito segurança.
Mas como sou livre, pesquisei, li e usei a partir do 2º mês. No começo foi muito bom para amamentar em público porque permite que o bebê fique deitado e bem protegido de exposição à luz, vento etc.
Depois que o bebê começou a firmar as costas não gostava mais de ficar deitado e aí comecei a coloca-lo de frente (com as costas encostadas na minha barriga). Ele adorava.
Agora ele cresceu e eu uso na posição barriga com barriga ou com o bebê sentado de lado. Também pode ser usado para colocar o bebê nas costas mas ainda não experimentei.
Vantagens: variedade de posições.
Desvantagens: dá um pouquinho mais trabalho pra colocar/vestir.




foto: Santo Sako



Vale pros dois:
Existe no mercado uma variedade enorme de modelos e por questões de segurança é bom adquirir um produto de origem certificada.
Quando for usar pela primeira vez é importante que o bebê esteja tranquilo. É bom evitar iniciar a experiência quando o bebê estiver em alguma situação incômoda, tipo  fome, dor ou sono.

Se pensarmos nas nossas origens mais remotas vamos descobrir que ao contrário do que disse o pediatra do Arthur, essa história de sling não tem nada de recente. A maioria das mães aborígenes sempre carregavam seus bebês junto ao corpo e naquele tempo não tinha INMETRO pra garantir a segurança.
Eu já passei horas tentando fazer meu bebê dormir e a gente acabava se estressando. Daí lembrei das minhas duas ferramentas preferidas o canguru e o sling. Quando passei a coloca-lo pertinho de mim tudo ficou mais tranquilo e na hora de dormir praticamente ACABOU A CHORADEIRA. Isso porque ele dorme sozinho, sem pressão e sem stress.

E pra finalizar, uma imagem inspiradora (pelo menos pra mim é) :

terça-feira, 12 de julho de 2011

A Encantadora de Bebês

Atenção mamães e papais que querem ajuda para ensinar seu bebê a dormir a noite toda: Esse Blog  é TUUUDDOOO.
Tem um montão de dicas excelentes sobre o método da Tracy Hogg, A Encantadora de Bebês.
Pra quem é mãe de primeira viagem então, é um verdadeiro bálsamo.

PORÉM, ENTRETANTO, TODAVIA, CONTUDO... li aqui que Tracy Hogg não foi ( não foi porque ela já faleceu) uma mãe exemplar e que sequer amamentou suas filhas. Pode ser só um boato mas também pode ser verdade. Ou seja, mais uma vez vamos filtrar e usar só os conselhos que julgamos ser bons, certo?

PS.: Eu já conhecia esse blog antes do meu pequeno nascer mas nunca quis aplicar o método nem me interessei em comprar o livro. Quem sabe um dia, né?!


domingo, 10 de julho de 2011

A Mãe Brava

Filho cresce rápido né?!E não é que eu já vejo as fotos dele recém-nascido e fico com uma dose de nostalgia?
Por isso que não ligo em passar noites e noites sem dormir. Afinal, antes dele nascer eu faria isso se fosse pela diversão da balada. Até o 8º mês de gestação me aventurei em shows e inferninhos por aí sem o menor problema com sono . Acho que depois que ele tiver 50 anos finalmente poderei dormir novamente.

Já ouvi muito a frase:" aproveita porque passa tão rápido!". Passa mesmo e sei que ele não vai querer meu colo pra sempre.

Outro dia recebi uma visita que comentou: "Nossa! mas você passa o dia todo com ele no colo??? Põe no chiqueirinho!!!" .
Resposta educada: " Eu até pensei em comprar um agora que ele já senta".
Resposta que eu gostaria de dar: " Cara, eu tô pedindo pra você pegar ele por acaso????"
Acontece que nem comprei o tal cercadinho porque acho supérfluo, o bebê vai usar pouco e também não sou do tipo de mãe que coloca o bebê lá e vira as costas pra fazer outra coisa.
Eu QUERO olhar o tempo todo, observar os movimentos, as descobertas dele, brincar, interagir, babar, babar mais um pouco, babar de novo.  Um dia talvez eu volte a ter tempo pra cuidar de casa, louça, roupa e outras coisas materiais que vão ficar aí quando eu morrer. Já os momentos que eu passo com meu bebê, serão  eternos pra minha alma de mãe coruja.

E tem também aquelas que me olham como se eu fosse o próprio ET: "Mas você não vai voltar a trabalhar?"
Resposta educada que normalmente eu dou: "Não, vou esperar até ele crescer um pouco blá, blá,  blá!"
Resposta que eu gostaria de dar: " Eu tô te pedindo dinheiro por acaso? Tá te incomondando o fato de eu estar em casa? Porque não cuida da sua vida e me deixa curtir meu filho, hein?" Que saco! Pessoas que me criticam: CUIDEM DE VOSSAS VIDAS !

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Será que estraguei meu filho?



Depois desse post vai ter gente dizendo que devo mudar o nome do blog para "A Mãe Louca". Isso porque eu não tenho o menor problema em dizer: "Acho que estraguei meu filho"!
Enquanto a vida moderna pede uma rotina que nos deixe cada vez mais independentes, onde ''cada um deve ter o seu espaço'' eu dormia com meu bebê na cama até ontem. Até ontem mesmo!
Sabe tudo o que dizem pra não fazer com um bebê recém nascido? Eu fiz.


Decretei o sinal verde até que EU (a mae livre  a mãe louca) o julgue com capacidade suficiente para ser educado e entender certas situações.

Desde que nasceu até hoje, meu bebê , entre outras coisas:

1. Só dorme no peito.

2. Acorda de 1 a 100 vezes durante a noite pra mamar, arrotar, soltar gases, checar se eu tô por perto ou sabe Deus mais pra que.

3. Tem rotina sim, mas de acordo com a vontade dele porque acho muuuiiiitto estressante fazer queda de braço com ele.

4. Passa horas no meu colo ou pendurado em mim seja no canguru ou no sling.

5. Sai da rotina e vai à festas, restaurantes e outros eventos ocasionalmente no horário em que deveria estar dormindo.

6. Dorme de bruços porque é o jeito que ele fica mais confortável.

7. Tem uma mãe à disposição 24 horas por dia.


Se essa liberdade toda vai fazer bem ou fazer mal, só o tempo vai dizer. Mas por enquanto estamos bem assim. Ele sorridente e eu babando. E quem nunca quis fazer dengo pro seu filho que atire a primeira pedra.

sábado, 2 de julho de 2011

Bebês não falam, logo choram!

Pois é, antes de ser mãe eu já sabia que bebês choram. Afinal o choro é a primeira forma de comunicação que a gente desenvolve logo ao nascer.
O que eu descobri depois que meu filho nasceu é que bebês não choram à toa!
Pode ser frio, fome, sono, dor, insegurança, desconforto ou qualquer outra coisa mas existe um motivo sim! Daí a descobrir o que há de errado já é outro capítulo...No começo tem que ir tentando mesmo até achar a causa, motivo, razão ou circunstância que levou ao choro. Agora se você é uma mamãe ou papai high-tech já existe até Tradutor de choro que promete ajudar nos momentos difíceis.
E essa história de bebê que já nasce fazendo manha quase me convenceu mas agora não cola mais.
Do mesmo modo aprendi que se algo estiver incomodando o pequeno a gente percebe rapidinho.
Bebê bem alimentado, sequinho, seguro e confortável no ambiente em que está fica feliz e tranquilo. Isso deveria constar no Manual de Instruções do Bebê ( fica aí a dica viu Papai do Céu! A nova frota o Senhor já pode mandar com manual que a gente agradece).

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Terrorismo - Parte 1

Pra que deixar a gravidinha em paz se podemos praticar o terrorismo? E afinal de contas por que ajudar uma mãe se podemos atrapalhar???
Eu creio em Deus, portanto me esforço para acreditar que as pessoas querem o bem umas das outras. Nessa corrente "de fazer o bem sem olhar a quem" a gente ouve aqui e repassa alí todos os conselhos que recebemos sendo eles úteis ou descabidos. 

Ao mesmo tempo penso que algumas pessoas gostam mesmo é de "tocar um terror"!
Essa sede de preocupar a outra pessoa, de sentir o ar de tensão na face alheia e de saber que tirou o sono de alguém deve ser algum tipo de doença ainda não descoberta pela medicina. Um dos grandes males do século que ainda vai dizimar populações inteiras.  Isso explicaria a quantidade absurda de conselhos mais absurdos ainda que a gente recebe sem pedir.
No quesito maternidade  então a lista de besteiras é quase infinita! Selecionei algumas que recebi ( só lembro de algumas mesmo porque muitas eu deletei na hora...o cérebro nem processou).

Não lavar a cabeça durante o resguardo.
essa eu até ouso dizer que é do tempo das nossas avós, mas não consegui achar nenhuma ligação da caspa com a seborréia. Quer dizer da sujeira com o bebê. Ops! Ah sei lá! Isso é tão sem noção que não consigo achar um fundamento!!!

Não dormir muito na gravidez pro filho não ser um preguiçoso.
Ah tá! Quer dizer que o bebezinho que tá lá dentro do nosso útero quietinho se formando dia após dia, crescendo e se transformando em uma pessoinha com personalidade, alma e tudo mais tá só de olho: "Ah se minha mãe não acorda cedo eu também não vou acordar".." Se ela dorme bastante eu também vou dormir e quando ela menos esperar eu vou usar essa preguiça toda contra ela!".

Não usar colar, correntes ou pingentes no pescoço pro bebê não nascer com marcas.
Eu nem queria comentar esse conselho mas seguindo essa lógica a maioria dos bebês nasceriam com marcas de brincos, alianças nos dedos, manchas causadas pelo uso de sapatos, lingeries etc. Se eu soubesse disso antes teria usado o símbolo do Batman no pescoço pro meu filho nascer com uma tatoo bem original!

Não ficar descalça na gravidez pra não passar "friagem" pro bebê.
Vai que ele pega uma corrente de ar através do nosso pé e fica resfriadinho né?! Melhor evitar!

Fazer caretas durante a gravidez faz o bebê nascer feio.
Gente pelo amor de Deus!!! Sem comentários.

Ter relações sexuais durante a gravidez machuca o bebê.
Em pleno século 21 ainda tem gente dando esse tipo de conselho.

Pular pode causar aborto.
Como assim? Por favor alguém avisa a Cláudia Leitte que ela não pode trabalhar grávida. Oi? Ah já nasceu né? Ufa!




 Obs.: O pior é quando a mulher recebe o tal conselho tarde demais. A pobre fica se martirizando, tendo pesadelos e pensando nas possíveis consequências que poderão surgir. É nessa hora que a pessoa que aconselhou atingiu de fato seu objetivo!

E você, já ouviu muitas dicas e conselhos desse tipo? Conta aí..vamos postar a Parte 2!